quarta-feira, 7 de março de 2018

Vídeo – Hermínio fala sobre áudio vazado, CPIs, chama Confúcio de irresponsável e pede renúncia do governador



O deputado do PDT foi o único parlamentar a se manifestar espontaneamente sobre o assunto na sessão plenária da última terça-feira (06)

Porto Velho, RO – O deputado estadual Hermínio Coelho, do PDT, foi o único parlamentar a usar a tribuna na sessão plenária da última terça-feira (06) a fim de abordar espontaneamente o assunto do áudio vazado – onde seu nome fora citado por terceiros.

CONFIRA ABAIXO A ÍNTEGRA DO PRONUNCIAMENTO



Sobre a menção ao seu nome, o pedetista já expediu Nota de Esclarecimento e esmiuçou por que não faz sentido participar de qualquer negociata que seja, principalmente se a intenção for manter o atual governador Confúcio Moura (MDB) no mandato até o fim. Clique aqui e leia.

Na galeria da Assembleia Legislativa (ALE/RO), inúmeros servidores da Educação e membros da imprensa regional aguardavam ansiosamente os posicionamentos dos deputados em relação ao tema e também sobre pautas específicas voltadas à categoria dos educadores.

“Nós deputados não temos o poder de resolver as questões dos trabalhadores da educação. Só quem pode aumentar salário, dar gratificação, melhorar qualquer tipo de benefício para os trabalhadores é o Governo do Estado, a iniciativa só pode ser dele”, argumentou.

No entanto, Hermínio Coelho disse que os parlamentares podem e devem cobrar e pressionar – com responsabilidade e transparência – o Executivo para que sejam cumpridas as obrigações que cabem ao Estado.

“Com essa história de plano [refere-se ao Plano de Carreira dos servidores da Educação], o governador Confúcio Moura enganou a classe em 2010 para ser eleito e voltou a enganar em 2014 para ser reeleito. Eu conheço político de todo tipo, inclusive os muito ruins, mas eu considero o Confúcio Moura um dos piores que já conheci”, declarou o deputado.

Oposição, CPIs, covardia com Daniel Pereira e renúncia

Durante sua exposição, Hermínio Coelho também abordou diversas situações, a exemplo das várias Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) que tentou instalar sem sucesso no Legislativo porque, segundo ele, mantém-se desde 2011 como única oposição entre os 24 deputados à administração Confúcio Moura. 

Incluiu na lista a CPI da Ponte, onde obteve apenas três assinaturas (contando com a dele) para formalizar a comissão na ALE/RO.

O pedetista ainda denominou como covardia a atitude do governador Confúcio Moura por desfazer alterações pactuadas com o vice-governador Daniel Pereira (PSB) tanto na cúpula da Segurança Pública quanto no Departamento de Estradas de Rodagens (DER/RO).

“O Daniel mudou a cúpula da Segurança Pública com o aval do Confúcio. Mudou a diretoria do DER/RO tirando um acusado de ser ladrão da chefia do órgão – também com o aval do governador. Tudo isso para ser desfeito pelo próprio Confúcio no outro dia porque não seria mais candidato a senador e permaneceria no cargo. Isso é coisa de homem que não tem palavra”, criticou o deputado.

O parlamentar concluiu afirmando que a única postura correta a ser adotada por Confúcio, se este tivesse o mínimo de decência e dignidade, seria renunciar ao governo agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário