quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

‘Quase mil pessoas devem perder o emprego por causa do Prefeito de Porto Velho’, diz Hermínio sobre ‘esquemão’ da vigilância


Deputado está indignado com mais uma possibilidade de manobra tacanha para prejudicar trabalhadores e promover ganhos pessoais

Porto Velho, RO – Um jogo de cartas marcadas que ocorre, supostamente, no âmbito da Prefeitura de Porto Velho, sob comando de Hildon Chaves (PSDB), pode desempregar quase mil trabalhadores na Capital, todos vigilantes.

A denúncia foi esmiuçada pelo site Folha3, revelando espécie de “esquemão” milionário para um projeto de segurança eletrônica onde uma empresa de Manaus deverá substituir mais de 900 profissionais em vigilâncias na Secretaria Municipal de Educação (SEMED), Secretaria Municipal de Saúde (SEMUSA) e Secretaria Municipal de Administração (SEMAD).

ENTENDA


De acordo com o jornal, um servidor de primeiro escalão na gestão tucana, pré-candidato a deputado estadual, estaria propondo duas indicações para cada presidente de bairro e lideranças comunitárias oferecendo salários que variam de R$ 1 mil a R$ 1,8 mil na empresa de vigilância contratada pela prefeitura. 


A concessão, entretanto, não é de graça. Para que essas indicações sejam efetivadas é necessário o comprometimento irrestrito e apoio incondicional à postulação do auxiliar de Chaves. 

“Espero que o Ministério Público (MP/RO) tome as devidas providências para apurar essas informações. Quase mil pessoas podem ficar sem emprego por conta do prefeito de Porto Velho e comandados, e isso é inaceitável, inadmissível! Com a situação exposta, já passou da hora de o prefeito se manifestar oficialmente a respeito. Esse silêncio é revelador, no mínimo”, disse Hermínio Coelho.


O parlamentar salientou, ainda, que o fato de a estratégia ter aparente viés eleitoreiro tornam as coisas muito piores:


“Não é só usar a máquina pública para acabar com a vida de mães e pais de família. É abusar do poder para alcançar cargos políticos! São R$ 30 milhões do dinheiro dos porto-velhenses para alimentar campanha de um cidadão sem compromisso com a Capital. Rogo aos promotores de Justiça deste Estado que façam um pente fino na situação e obtenham, través do Judiciário, as devidas punições nas áreas cível e criminal aos responsáveis”, concluiu o pedetista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário