sábado, 16 de setembro de 2017

NA IMPRENSA – RD conversa com deputado Hermínio Coelho: as brigas com Confúcio, caminhada com Gurgacz e a ressaca do Poder


Vinicius Canova entrevista o deputado Hermínio Coelho / Foto: Gregory Rodriguez
POR RONDÔNIA DINÂMICA
PUBLICADA NO DIA 14/09/2017


Porto Velho, RO –
O jornal eletrônico Rondônia Dinâmica recebeu, na manhã desta quinta-feira (14), o deputado estadual Hermínio Coelho (PDT) que, entre tantas características e qualificações imputadas por terceiros – e até por ele mesmo, destaca-se, segundo o próprio, por ser a única voz de oposição ao governo Confúcio Moura (PMDB) na Assembleia Legislativa (ALE/RO) entre os 24 parlamentares.

Primeiro convidado a participar da seção RD Entrevista (leia na íntegra clicando aqui), o pedetista, conhecido por não ter papas na língua, garante um novo homem público ainda mais enfático e exigente. Isto, após passar por diversos problemas em relação aos exageros retóricos apresentados em discursos políticos inflamados e totalmente sem rédeas, incluindo a “cereja do bolo” encarnada na ação movida contra ele pelo chefe do Executivo acusando-o de crime de injúria, episódio, ainda, sem conclusão.


Hermínio Coelho discursa para mototaxistas de Porto Velho / Foto: Divulgação

“Minhas cobranças contra o Confúcio e seu governo continuarão sendo como sempre foram! Acredito que exigir das gestões que cumpram o seu dever seja um dos papeis principais de um deputado. E estou me aprimorando para fazer oposições cada vez mais fortes, firmes, objetivas e qualificadas quando tiver de agir. Não vou mudar”, disse. E complementa: “Não vou aceitar tudo o que vem do Executivo. Jamais, não é meu perfil”.


Senador Acir Gurgacz, no mesmo encontro / Foto: Divulgação

O empregado e o empresário estadista

O cobrador de ônibus, oriundo das lutas promovidas por classes trabalhadoras e lideranças sindicais, tem um novo desafio em 2018: possível candidato à reeleição, deverá apoiar como cabo eleitoral o senador Acir Gurgacz, do mesmo partido, empresário do ramo de transportes – justamente  de onde saiu e forjou sua carreira política – ao Governo de Rondônia. Gurgacz, no entanto, não terá vida fácil caso “saia da linha”, de acordo com o deputado.


“Uma oportunidade única juntar a voz do trabalhador, da população e também as exigências sociais a um governador que tenha a visão empresarial, mas também conserve a decência de ouvir a todos democraticamente. O Acir é acessível, receptivo. Estou otimista, projetando um futuro promissor. Não é de quadrilha, não é de ‘rolo’, não faz parte de esquemas, portanto, digo sem pestanejar que serei cabo eleitoral dele. É o nosso pré-candidato e tem todo nosso apoio”, destaca.

E afirma:

“Enxergamos o senador Acir como um verdadeiro estadista, preparado, que pensa grande no Estado e é capaz de promover as mudanças necessárias ao que tanto exigimos. Entre os pré-candidatos que se apresentaram aí com certeza é o melhor nome”, pontua.


Corrupção

“Jamais peguei um centavo que não fosse meu”, brada rapidamente ao ser questionado, mais uma vez, se é ou não corrupto. Apesar da resposta óbvia (quem admitiria, afinal?) o ex-petista justifica:


“Eu comandei os dois maiores Poderes Legislativos de Rondônia. Aprovamos Planos de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) de várias categorias; as Casas não eram omissas e nem submissas ao Executivo; não houve um escândalo sequer durante os oito anos das minhas administrações enquanto presidente tanto da Câmara quanto na Assembleia. Milhões e milhões passaram por mim e não há uma denúncia sequer envolvendo meu nome. Sou honesto sim! Erro, peco e falho como ser humano, porém, com aquilo que é dos outros, jamais pus as mãos”, vocifera.

Ressaca do Poder


Coelho, que chegou ao topo do Poder Legislativo nas duas Casas de Lei mais importantes de Rondônia – fora presidente por dois mandatos consecutivos tanto na Câmara de Porto Velho quanto na ALE/RO – indicou que a libertação dos bajuladores foi a melhor coisa que aconteceu com a perda do cargo, regressando ao status de parlamentar comum.

“Me livrei dos puxa-sacos e fiquei com os amigos de verdade. Não poderia ser melhor. O Poder da Presidência é ótimo, ajuda a realizar”, apontou.

Não volta?

Hermínio comentou, ainda, burburinhos que percorrem a Internet no sentido de que sua possibilidade de reeleger-se são mínimas. Além disso, comentou não saber o que faria da vida caso perdesse o mandato.


“Eu sou um político de posição muito bem definida. Minha vida foi voltada aos trabalhadores e tudo o que faço, sem exceção, tem a ver com as pessoas mais carentes e seus cotidianos sofridos. Estou no Legislativo para fazer o bem. Voltar ou não depende das pessoas que confiaram e ainda confiam em mim. E eu posso encher o peito para dizer que nunca  as traí”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário